Índice de Desenvolvimento de Reflorestamentos

Nos reflorestamentos com espécies nativas encontra-se uma grande dificuldade em se quantificar o desenvolvimento dos plantios, principalmente devido a heterogeneidade dos mesmos, devido a esta característica percebemos que um dos fatores chave é obter uma grande quantidade de amostras. Mas como amostrar grandes áreas de forma prática?

O primeiro passo foi escolher apenas um fator a ser medido: o tamanho das mudas, em seguida o tamanho das mudas foi simplificado em três classes para facilitar a medição (menor que 5ocm, entre 50cm e 1m, maior que 1m). A partir daí os dados são coletados no campo em sub-parcelas amostrais de 10 mudas.

Então as informações coletadas são sintetizadas em um índice de desenvolvimento através desta equação:

Onde:

i =índice de desenvolvimento
P = % mudas pequenas
M = % mudas médias
G = % mudas grandes
Mo = % mudas mortas

Por fim o índice de desenvolvimento foi normalizado em uma escala de 0 a 100.

Toda a operação foi realizada no Postgresql/Postgis e os resultados exibidos em um mapa no Qgis. O procedimento realizado foi o seguinte:

1-No Postgis  as áreas foram agrupadas ou separadas respeitando a homogeneidade, cada parcela pode ter mais de uma área e uma  área pode ter mais de uma parcela. Isto gerou uma relação “many-to-many” que foi modelada no banco de dados. Para armazenar os dados utilizou-se uma coluna do tipo “hstore”.

2-Os dados foram coletados no campo e importados no banco de dados.

3-Os dados foram processados gerando o índice através de uma busca sql:

Select distinct
parid as id, parcela.nome as parcela,
array_to_string(array_agg(distinct(areas.nome)), ',') as area,
geom as the_geom,
round(cast(st_area(geom)/10000 as numeric),2) as tamanho,
round(cast(((st_area(geom)/100)/67.54) as numeric),2) as parea,
pequenas, medias, grandes, mortas,
round(((100-mortas)/100)*((pequenas)+(medias*2)+(grandes*3))*100/285,2) as indice,
contagem
FROM(
SELECT
parcela.id as parid,
st_union(areas.the_geom) AS geom,
(((((('p'::text || round(avg(to_number(dado.valor -> 'pequena'::text, '99'::text)) * 10::numeric, 2)) || ',m'::text) || round(avg(to_number(dado.valor -> 'media'::text, '99'::text)) * 10::numeric, 2)) || ',g'::text) || round(avg(to_number(dado.valor -> 'grande'::text, '99'::text)) * 10::numeric, 2)) || ',mo'::text) || round(avg(to_number(dado.valor -> 'morta'::text, '99'::text)) * 10::numeric, 2) AS legenda,
round(avg(to_number(dado.valor -> 'pequena'::text, '99'::text)) * 10::numeric, 2) AS pequenas,
round(avg(to_number(dado.valor -> 'media'::text, '99'::text)) * 10::numeric, 2) AS medias,
round(avg(to_number(dado.valor -> 'grande'::text, '99'::text)) * 10::numeric, 2) AS grandes,
round(avg(to_number(dado.valor -> 'morta'::text, '99'::text)) * 10::numeric, 2) AS mortas,
count(distinct dado.id) AS contagem
FROM schema1.dado, schema1.parcela, schema1.parcela_rel, schema1.areas
WHERE dado.parcela_id = parcela.id AND parcela_rel.area_id = areas.gid AND parcela_rel.parcela_id = parcela.id
GROUP BY parcela.id
ORDER BY parcela.id
) as dados,
schema1.parcela,
schema1.areas,
schema1.parcela_rel
WHERE
parid=parcela.id and
parid=parcela_rel.parcela_id and
parcela_rel.area_id = areas.gid
group by parid, parcela.nome,geom,dados.pequenas,dados.medias,dados.grandes,dados.mortas,contagem,
order by indice

4-A camada postgis gerada foi adicionada ao QGIS e sobre ela gerados gráficos de pizza para visualizar os dados.

Alem da visualização foram gerados relatórios e rankings com as áreas ordenadas pelo índice de desenvolvimento. A metodologia foi verificada pelas observações de campo e se mostrou bem consistente com a avaliação empirica das áreas.


Os pontos fortes da metodologia são:
-Amostragem extensiva e rápida das áreas,  com duas pessoas amostramos 540  sub-parcelas em 60ha em quatro dias.
-Análise de escritório totalmente automatizada, basta inserir os dados e o resultado é imediato.
-Não requer conhecimento técnico para a realização da amostragem.
-Não requer a alocação de parcelas e tão pouco o planejamento dos pontos amostrais uma vez que as sub-parcelas são coletadas ao longo de toda a área.

Os pontos fracos são:
-Não diferencia espécies pioneiras, secundárias, etc.
-Avalia apenas o crescimento.

Sugestões são bem vindas,

Att.

Anúncios

6 Respostas para “Índice de Desenvolvimento de Reflorestamentos

    • Belo trabalho!! Parabéns!
      Gostaria de saber onde vc obteve as fontes para gerar este trabalho. Ou vc está desenvolvendo?
      Por exemplo, como chegou na fórmula utilizada?
      Obrigado

      • Oi Anderson, obrigado.
        A metodologia foi desenvolvida do zero, não encontrei fontes que suprissem a necessidade primordial de uma amostragem rápida e fácil. De início cogitamos a possibilidade de parcelas permanentes mas logo verificou-se que elas não traduziam a realidade da área devido a elevada heterogeneidade das mesmas.
        A base da fórmula foi atribuir pesos variados a diferentes tamanhos de mudas descontando ainda as mudas mortas. O dilema inicial foi “Está área apresenta mudas grandes mas alta mortalidade, esta outra área apresenta baixa mortalidade mas mudas pequenas. Qual está mais desenvolvida?”
        Ainda há o que aprimorar , mas por hora está cumprindo bem a função.
        Att.

  1. boa tarde

    Será possivel enviar-me o seu mail para contacta-lo?

    Estou a fazer um projecto parecido, mais simples, e precisava de uma ajudinha…

    Aguardo resposta,
    Luis Dinis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s